Policial / Paraná 23 de agosto de 2019 17h30

Réu que estuprou cadeirante é condenado a 33 anos e 8 meses de prisão

Tribunal do Júri de Catanduvas aplicou a pena do crime que ocorreu em dezembro de 2017...

Em julgamento realizado na quinta-feira, 22 de agosto, o Tribunal do Júri de Catanduvas, no Oeste paranaense, condenou a 33 anos e 8 meses de prisão um homem que cometeu estupro de vulnerável contra uma mulher paraplégica e em seguida a matou por asfixia. O crime aconteceu em Três Barras do Paraná (município da comarca de Catanduvas) no dia 3 de dezembro de 2017.

Os jurados acolheram todos os pontos sustentados na denúncia pelo Ministério Público do Paraná, inclusive as quatro qualificadoras do homicídio: cometido para ocultar outro crime (o estupro), com emprego de asfixia, à traição (a vítima era amiga do réu e foi atraída por ela a um local ermo) e feminicídio (por menosprezo à condição de mulher).

Relembre o caso

Uma jovem de 18 anos, foi encontrada morta na manhã deste domingo (3), em Três Barras do Paraná.

O corpo da jovem, que era cadeirante, foi localizado em uma plantação de soja às margens da Rua dos Pioneiros, no Jardim Floresta.

A família relatou que ela saiu de casa por volta das 22h de sábado (2) e não fez mais contato. Nesta manhã, o corpo dela foi encontrado por populares, que acionaram a Polícia Militar.

O corpo estava ao lado da cadeira de rodas motorizada. A jovem foi morta com golpes de tijolo na face.

O local foi isolado até a chegada da Polícia Militar e do Instituto de Criminalística. Uma perícia inicial apontou que a vítima foi estuprada antes de ser morta.

O caso é investigado pela Polícia Civil. O corpo de Luana foi encaminhado ao IML (Instituto Médico-Legal) de Cascavel.

Com informações: Catve.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.