Cotidiano / Foz do Iguaçu 06 de setembro de 2019 17h13

Parque Nacional do Iguaçu entra na mira de privatizações do Governo Federal

Parecer assinado pelo ministro da Casa Civil aprova a inclusão da parte brasileira do parque neste projeto...

O Parque Nacional do Iguaçu, na fronteira do Brasil com a Argentina, pode entrar no programa de privatização do Governo Federal. Um parecer assinado pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, aprova a inclusão da parte brasileira do parque neste projeto.

A ideia do projeto é entregar de vez as operações de controle de visitação, proteção e gestão dos parques nacionais para a iniciativa privada.

Atualmente, o Parque Nacional do Iguaçu já é parcialmente administrado por uma concessionária que controla a visitação, mas trabalha de forma subordinada ao ICMBio, o Instituto de Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Além disso, o parque vem batendo recordes de visitação. No ano passado, o local recebeu um milhão e 800 mil turistas, vindo de 170 países. A maioria veio conhecer as cataratas do Iguaçu, mas existem outros atrativos, como os passeios pela mata e as aventuras no rio.

O Parque Nacional do Iguaçu também é reconhecido como o último habitat natural da onça-pintada.

O parque, criado em 1939, é considerado patrimônio natural da humanidade, e foi eleito uma das sete novas maravilhas da natureza.

A decisão final será do presidente Jair Bolsonaro. Em Foz do Iguaçu, a direção do parque e os representantes do ICMbio não falam sobre o tema, mas, para quem visita o Parque Nacional, pouco importa quem vai comandar o negócio, desde que a visitação permaneça aberta.

Além do Parque Nacional do Iguaçu, a resolução também inclui o Parque Nacional de Jericoacoara, no Ceará, e o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, no Maranhão, neste mesmo pacote.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.