Cotidiano / Brasil 27 de janeiro de 2020 17h59

Ibama renova licença para Brasil retomar extração de urânio interrompida em 2015

As atividades de mineração de urânio foram paralisadas no país entre 2014 e 2015...

Reprodução/Youtube
Reprodução/Youtube

O Ibama renovou esta semana a Licença de Operação da Unidade de Concentração de Urânio da Indústrias Nucleares do Brasil (INB) em Caetité, na Bahia, até 2026. De acordo com a estatal nuclear, este era o último passo necessário para o retorno da extração de urânio no Brasil, a fim de abastecer suas duas centrais nucleares.

As atividades de mineração de urânio foram paralisadas no país entre 2014 e 2015, depois que a parte a céu aberto da mina de Cachoeira se exauriu e foi solicitado o licenciamento para a parte subterrânea da mina, sem sucesso. A empresa aguarda também a licença para Santa Quitéria, no Ceará.

“A opção foi pela lavra a céu aberto da mina do Engenho, no mesmo local”, informou o INB. A licença também abrange a planta de beneficiamento do minério.

Segundo uma fonte próxima ao assunto, este ano serão produzidos 250 toneladas de urânio e no ano que vem o País vai atingir as 400 toneladas necessárias para suprir as usinas nucleares Angra 1 e Angra 3.

A unidade do INB ocupa uma área de 1.700 hectares, localizada em uma província mineral com recursos que chegam a 99,1 mil toneladas de urânio e onde estão identificados 17 depósitos minerais.

De 2000 a 2015, a INB Caetité produziu 3.750 toneladas de concentrado de urânio a partir da extração a céu aberto em Cachoeira.

Com informações: Estadao Conteudo.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.