Política / Mundo 15 de novembro de 2019 18h30

Brasil e outros 9 países saem de acordo pró-aborto da ONU

Tratado sobre controle populacional falava em "direitos sexuais e reprodutivos"...

Nesta quinta-feira (14), dez países se desligaram do acordo da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, que pede controle populacional. Uma das medidas do documento é a manutenção de “direitos sexuais e reprodutivos”, que permitiria o aborto.

Os Estados Unidos foram o primeiro país a se manifestar contra o tratado.

Não há um direito internacional ao aborto. Na verdade, as leis internacionais dizem, de forma clara, que todo mundo tem direito à vida – defendeu a representante dos Estados Unidos, Valeria Huber.

As dez nações então assinaram um manifesto comum que rejeita “referências a documentos internacionais com termos e expressões ambíguas, tais como direitos sexuais e reprodutivos, que não têm um consenso internacional”.

Os países são: Brasil, Estados Unidos, Hungria, Polônia, Belarus, Egito, Senegal, Uganda, Haiti e a ilha caribenha Santa Lúcia. Entre as críticas está a recusa em apoiar o que consideram “uma educação sexual que não consegue manter os pais envolvidos e promove o aborto como uma forma de planejamento familiar”.

A Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento promove uma cúpula nesta semana em Nairóbi, no Quênia. Muitos temas abordados desde terça-feira causaram controvérsia com grupos ultraconservadores e religiosos.

Eles envolvem a igualdade de gênero, o direito ao aborto, os direitos sexuais das pessoas com necessidades especiais, o planejamento familiar, a violência machista, entre outros.

Com informações: Agência EFE / pleno.news.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.