Policial / Campo Largo 11 de maio de 2018 11h20

Testemunhas mentem em audiência trabalhista e acabam presas

O juiz flagrou as testemunhas mentindo no momento da audiência em Campo Largo...

Duas testemunhas foram presas durante audiência realizada na Justiça do Trabalho de Campo Largo. A prisão em flagrante aconteceu porque o juiz que conduzia a audiência identificou que as testemunhas mentiram em juízo.

As testemunhas foram indicadas por uma empresa alvo da ação trabalhista. De acordo com o juiz Marlos Melek, as mesmas testemunhas já haviam participado de outras audiências e apresentaram os mesmos argumentos falsos em relação à atuação da empresa.

"Pela natureza dos fatos revelados, a extensão das pessoas atingidas e a quantidade de vezes em que a tese não real foi trazida ao juízo, determinei a prisão", afirmou o juiz. Desta vez, a mentira foi esclarecida graças a uma gravação apresentada como prova. Melek pontuou ainda que a conduta da empresa - que apresenta diversos problemas legais e em outras audiências apresentou a mesma conduta - contribuiu para a prisão das testemunhas.

Esta foi a terceira prisão determinada pelo juiz durante uma audiência em 13 anos de carreira e a primeira em 700 audiências conduzidas por ele penas neste ano. Ele explica que a medida está prevista no Código Penal Brasileiro, uma vez que a testemunha é alertada sobre a possibilidade de prisão apresente falso testemunho. Além disso, mentira em juízo pode render também o pagamento de multa.

"A mentira é uma violência. Ninguém pode mentir em juízo. A sentença é um ato tão sublime e nós, juízes, nos baseamos nas testemunhas para emitir a sentença. A testemunha não pode mentir, independente do juízo ou da área", destaca Melek.

As testemunhas presas foram encaminhadas para a Polícia Federal e liberadas em seguida. A reportagem não conseguiu contato com o advogado da empresa envolvida na situação.

Com informações: Massa News.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.