Tecnologia / Brasil 13 de abril de 2018 09h03

Tecnologia pode aprimorar arrecadação do governo, diz relatório do FMI

O estudo afirma que a tecnologia pode ajudar a combater práticas de sonegação fiscal...

Um relatório do FMI (Fundo Monetário Internacional) lançado nesta quinta (12) sugere que ferramentas digitais podem aprimorar os serviços e incrementar a arrecadação de um governo em até 2% ao ano. 

O estudo, que integra o relatório de monitoramento fiscal do órgão, afirma que a tecnologia pode ajudar a combater práticas de sonegação fiscal e aumentar a base de coleta de dados do governo. 

"Esse volume de informações pode permitir aos governos que melhorem a entrega de serviços públicos e a transparência fiscal", informa o documento. 

As conclusões são baseadas na experiência de diversos países, como China, África do Sul, Estônia e Chile, entre outros. 

Por outro lado, o relatório pontua que são necessários esforços simultâneos para garantir a segurança das informações digitais, em especial entre "cidadãos que permanecem profundamente desconfiados em confiar ao governo suas informações pessoais".

O órgão sugere investimento não apenas na manutenção de sistemas e sua segurança, mas na criação de um arcabouço legal de transparência e compliance para a administração pública. 

Assegurar o acesso da população a essas tecnologias, por meio da expansão da internet de banda larga e móvel, por exemplo, também está entre as recomendações. 

O documento ainda sugere que os países deveriam tomar medidas em conjunto para taxar companhias de tecnologia com operações internacionais.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.