Tecnologia / Brasil 18 de junho de 2018 16h58

Radar é capaz de flagrar motoristas ao celular, falta de seta e outras infrações

O aparelho está em testes na França e em Dubai....

Além de surpreender condutores que desrespeitam os limites de velocidade, modelos de radares criados nos últimos anos são capazes de detectar vários outras infrações, como usar o celular ao volante, dirigir sem cinto de segurança e trocar de faixa sem dar seta.

Um dos modelos mais avançados é o Mesta Fusion, fabricado por uma empresa francesa. Com câmeras de alta definição, ele é capaz de vigiar até oito pistas ao mesmo tempo, em um trecho de 200 metros, e detectar se os veículos estão respeitando a distância adequada até o carro da frente, se sinalizaram antes de trocar de pista ou se fizeram uma ultrapassagem pela direita.

O Mesta também registra se um automóvel entrar na contramão, fizer uma conversão proibida ou parar em cima da faixa de pedestres. Ele grava vídeos de toda a movimentação da estrada, para serem consultados em caso de contestação. O aparelho está em testes na França e em Dubai.

Há também avanços nos radares portáteis. O Velolaser, usado na Espanha, tem 50 cm de altura e pode ser controlado remotamente por tablets a até 50 metros de distância.

A adoção de aparelhos estrangeiros para fiscalizar as ruas leva tempo, pois eles precisam ser adaptados para atender à legislação local. A evolução destes equipamentos permitirá flagrar mais infrações e ampliar o número de multas. Embora essa ideia assuste os motoristas, exemplos como o da Lei Seca mostram que apertar a fiscalização pode ajudar a tornar o trânsito mais seguro.

Com informações: FOLHA PRESS.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.