Política / Brasil 06 de dezembro de 2017 13h43

Projeto em redes sociais pretende listar congressistas que não devem ser reeleitos

Pelo menos 15 parlamentares já estão na fila da antipropaganda, que começa a ser feita nos próximos dias...

O "tchau, querida", assíduo nos cartazes e gritos de quem pedia a saída de Dilma Rousseff (PT) em 2016, volta ampliado, batizando um projeto do Vem pra Rua (VPR) que quer fazer campanha contra políticos ficha suja em 2018.

Com o "Tchau, Queridos", o grupo que puxou atos pelo impeachment se une ao Ranking dos Políticos para divulgar em redes sociais o nome de congressistas que não devem ser reeleitos, segundo critérios das duas organizações.

Pelo menos 15 parlamentares já estão na fila da antipropaganda, que começa a ser feita nos próximos dias e seguirá até perto da votação. Na primeira leva há filiados a PMDB, PSD, PT e Avante.

"Ainda temos muitos 'queridos' que precisam sair para a vida política melhorar no Brasil", diz o empresário Rogerio Chequer, líder do VPR –a expressão entrou para o anedotário político após a divulgação do telefonema de Dilma a Lula, no ano passado.

A iniciativa é um novo passo do grupo rumo ao pleito de 2018. Ao lado de outros movimentos, o VPR também integra a Frente pela Renovação, que quer apoiar candidatos à Câmara e ao Senado, principalmente novatos.

Os fatores para a escolha dos "queridos" que, de acordo com os ativistas pró-renovação, devem ficar longe dos cargos públicos partem da base de dados do Ranking dos Políticos. O site classifica os congressistas por características como participação em sessões, gasto de verba pública e processos na Justiça.

"Não tem direcionamento pró-esquerda ou pró-direita", diz Alexandre Ostrowiecki, um dos fundadores do Ranking, ao falar do "caráter apartidário" da ferramenta. O projeto prega o combate à corrupção e a eficiência do serviço público. Defende livre iniciativa, propriedade privada e regime de mercado.

Além dos critérios objetivos, entra na conta a qualidade dos projetos de lei, julgada por conselheiros que atribuem notas (positivas ou negativas) conforme o posicionamento nas principais votações.

Quem se colocou a favor do impeachment de Dilma ganhou 25 pontos. Quem votou pela continuidade das ações contra Michel Temer somou 5 (na primeira denúncia) e 10 pontos (na segunda). Senadores que votaram para manter Aécio Neves (PSDB-MG) afastado angariaram 30 pontos.

Já o voto contra a reforma trabalhista, por exemplo, tirou 20 pontos do "prontuário". Também entram na somatória os votos nas sessões sobre o projeto das dez medidas contra a corrupção, o fim do foro privilegiado e a criação do novo fundo eleitoral.

"Vamos deixar claro como é feita a seleção e aí as pessoas fazem seu próprio julgamento", diz Chequer, que é colunista da Folha. Além da classificação feita pelo site, o "Tchau, Queridos" vai levar em conta na sua relação o tempo de atuação no Congresso e se o parlamentar é de "dinastia" política –ambas as atribuições pesam contra ele.

Na segunda-feira (4), quem aparecia em primeiro lugar no Ranking era o deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS) –beneficiado pela nota de desempenho nas votações. O último era o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) –prejudicado pela pontuação de ações judiciais abertas contra ele.

Com a divulgação da "lista suja da política", os organizadores afirmam querer lançar luz sobre o passado de candidatos e promover um ambiente de representatividade alinhado com os desejos da população.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.