Saúde / Paraná 04 de janeiro de 2018 15h15

Paraná amplia atendimentos de escolarização hospitalar

Foram atendidos 8.584 estudantes do 6° ao 9° anos do Ensino Fundamental, Médio, Educação Profissional e EJA...

O Sareh (Serviço de Atendimento à Rede de Escolarização Hospitalar), da Secretaria de Estado da Educação, ampliou, em 2017, o número de atendimento de escolarização a estudantes hospitalizados ou que se encontram impossibilitados de frequentar as aulas por motivo de tratamento de saúde. O atendimento educacional é feito em instituições hospitalares conveniadas ou nas residências dos estudantes.

Foram atendidos 8.584 estudantes do 6° ao 9° anos do Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação Profissional e da EJA (Educação de Jovens e Adultos), sendo 8.142 em hospitais e 442 em casa. Em 2016, o programa atendeu 8.121 alunos (7.791 hospitalizados e 330 em casa).

"Esse atendimento possibilita que o aluno, seja ele do Paraná ou de outro estado, a continuidade da sua escolarização sem perder os conteúdos, além de mantém o vínculo entre o aluno e escola", explicou a chefe do Departamento de Educação Especial da Secretaria da Educação, Siana do Carmo de Oliveira Franco Bueno.

Atendimento

O atendimento no Sareh é feito por professores e pedagogos da rede estadual de ensino. Nos hospitais os estudantes são acompanhados por quatro profissionais (três professores e um pedagogo) que passam por um processo de seleção específico para a função.

Os professores são divididos em três áreas do conhecimento: linguagem (Inglês ou Espanhol, Língua Portuguesa, Educação Física e Arte), humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia) e exatas (Química, Física, Biologia e Matemática). 

O acompanhamento é feito durante todo o período de internamento e conta com uma estrutura escolar com salas de atendimento de escolarização, em bibliotecas ou no próprio leito de internação.

Em casa

O acompanhamento educacional também acontece na própria residência do aluno enquanto estiver impossibilitado de frequentar as aulas por motivo de tratamento de saúde. No atendimento domiciliar, o estudante tem o acompanhamento de três professores e um pedagogo da escola em que está matriculado. 

"Antes da instituição do serviço os alunos hospitalizados deixavam de frequentar a escola devido o tratamento de saúde. O atendimento no hospital e em casa, que é um diferencial do Paraná, garante o direito à permanência e aprendizado mesmo estando longe do ambiente escolar", disse Siana.

Essa modalidade de atendimento também aumentou nos últimos anos. Entre 2007 e 2010 foram atendidos 20 estudantes. Já no período de 2015 a 2016, foram atendidos em seus domicílios 570 estudantes. Somente em 2017, foram atendidos em casa 442 alunos.

10 anos

Em 2017, o Sareh completou 10 anos de existência. Nesse período o programa já garantiu o acesso à escolarização a mais de 42 mil estudantes. 

Em uma década, o Estado mais que dobrou o número de instituições conveniadas com o serviço saltando de oito para 19 instituições que mantém parceria com a Secretaria da Educação em diferentes regiões do Paraná.

"A nossa missão é oferecer a esses estudantes o direito de continuar sua escolarização mesmo que esteja impossibilitado de frequentar a escola em virtude de situação de internamento hospitalar ou tratamento de saúde e nesses dez anos o programa teve muitos avanços", reforçou Siana.

Com informações: AEN Notícias.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.