Religião / Reflexão 05 de outubro de 2017 07h49

Não Excluídos os Publicanos

Porque eu quero misericórdia e não sacrifício; e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos. Oseias 6:6.

A vocação de Mateus para ser um dos discípulos de Cristo, despertou grande indignação. Que um mestre de religião escolhesse um publicano como um de seus imediatos assistentes, era uma ofensa contra os costumes religiosos, sociais e nacionais. 

Em sua gratidão e humildade, Mateus desejou mostrar seu apreço pela honra que lhe fora concedida; e, convocando os que haviam sido seus companheiros nos negócios, nos prazeres e no pecado, fez um grande banquete em honra do Salvador. Se Jesus o chamou, que era tão pecador e indigno, por certo aceitaria também seus antigos associados, que, pensava Mateus, eram muito mais merecedores do que ele. Mateus tinha grande anelo de que eles participassem dos benefícios das misericórdias e da graça de Cristo. Desejava que soubessem que Cristo não… desprezava nem odiava os publicanos e pecadores. Queria que conhecessem a Cristo como o bendito Salvador. 

Jesus nunca recusava um convite para festividade semelhante. O objetivo que tinha sempre presente era semear no coração de Seus ouvintes as sementes da verdade: por meio de Sua cativante conversa atrair a Si os corações. Em cada um dos Seus atos tinha Cristo um propósito, e a lição que deu nessa ocasião foi oportuna e apropriada. Por esse ato declarou Ele que mesmo os publicanos e pecadores não estavam excluídos de Sua presença. …

Os fariseus viram Cristo assentado e comendo com os publicanos e pecadores. … Aqueles homens, cheios de justiça própria, que não sentiam necessidade de auxílio, não sabiam apreciar a obra de Cristo. Colocavam-se em lugar onde não podiam aceitar a salvação que Ele viera trazer. Não vinham ter com Ele, para que tivessem vida. Os pobres publicanos e pecadores sentiam sua necessidade de auxílio, e aceitavam as instruções e ajuda que, sabiam eles, Cristo era bem capaz de lhes dar.

Ao próprio Mateus, o exemplo de Jesus na festa era uma lição constante. O desprezado publicano, tornou-se um dos mais devotados evangelistas, seguindo, em seu ministério, bem de perto, os passos do Mestre. 

Com informações: Meditação.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários enviados através do formulário são de inteira responsabilidade do autor. O site MarechalOnline.net se reserva no direito de coletar e armazenar informações do autor, tais como: email, macaddress e ip, para possíveis ações de responsabilidade penal - caso necessário. O site MarechalOnline.net se reserva ainda no direito de não publicar comentários com conteúdo inapropriado para o espaço. Os comentários não são editados, e quando publicados vão ao ar da forma original como foram redigidos pelo autor. Ao utilizar este recurso o autor automaticamente concorda com os termos de uso especificados acima.